sexta-feira, 16 de março de 2018

Cachaça Capotira em exposição no SIRHA.








Do município de Vargem Grande (MA), a Capotira marca presença no importante evento internacional do setor de alimentos, bebidas e hotelaria que acontece até hoje em São Paulo.


 O empresário Jorge Fortes levou ao
 evento a Cachaça Capotira, certificada c
om o selo Prata na
Expocachaça do ano passado, na
categoria de Cachaças Armazenadas em
Madeiras Brasileiras.



A Cachaça Capotira produzida na Fazenda Baixinha, em Vargem Grande (MA), é um dos três empreendimentos maranhenses convidados pelo Sebrae estadual para participar da terceira edição do Salão Internacional de Restaurantes, Hotelaria e Alimentação (Sirha), que acontece até hoje, no São Paulo Expo, na capital paulista. O evento é voltado para profissionais defoodservice e hotelaria com a exposição 250 marcas brasileiras e internacionais.

A empresa, de propriedade de Jorge Fortes, integra as empresas participantes do Comércio Brasil, um programa do Sebrae que aproxima os pequenos negócios de compradores em potencial, promovendo e oportunizando o acesso a mercados por meio de um grupo interestadual de consultores, chamados de Agentes de Mercado. Por meio do Comércio Brasil, a Capotira – atendida desde 2015 pela regional do Sebrae em Chapadinha, já participou de diversos eventos dentro e fora do Maranhão.  

Inúmeras ações de gestão e investimentos em inovação e tecnologia advindos de consultorias do Programa Sebraetec, assim como investimento em novos equipamentos, reduziram o tempo da destilação da cachaça, tornando o processo mais eficiente e reduzindo custos, o que impactou no valor do produto final.

“Antes de implantar a fábrica, realizei visitas aos alambiques – dos mais simples aos mais sofisticados. Durante um evento, conheci a atuação do Sebrae no setor e, posteriormente, busquei contato com unidade que atendia a região onde eu pretendia instalar a fábrica. Daí por diante o apoio do Sebrae tem sido fundamental no meu negócio”, conta Jorge Fortes, destacando que trabalha de maneira arrojada, não abrindo mão de consultorias e capacitações específicas, assim como participação em eventos do setor e de mercado, como o SIRHA.   



Tantos investimentos e avanços – inclusive o registro do empreendimento junto ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) e elaboração dos manuais de boas práticas de fabricação e processamento da cachaça, favorecem a competitividade da empresa no mercado e já renderam à Capotira bons frutos. Em 2017, por exemplo, a cachaça maranhense ganhou o Certificado Prata na categoria Cachaças Armazenadas em Madeiras Brasileiras na 27ª edição da Expocachaça.




O reconhecimento se deu a partir da participação do destilado no concurso que avaliou a qualidade da bebida após uma degustação às cegas. “Nesse momento atentei que o meu produto tinha capacidade de estar no mercado nacional e internacional, competindo com outras marcas de alto nível de produção. E é isso que eu quero hoje”, aponta Fortes, ressaltando que não para com os investimentos.


Empresários maranhenses que foram para o SIRHA, em São Paulo, com o gestor de acesso a mercado do Sebrae estadual, Saulo Aires.



Atualmente a fábrica ampliou a estrutura física e aumentou sua capacidade produtiva passando de três para quatro destilações diárias, o que possibilita a produção média de 400 litros de cachaça/dia. A matéria prima para a fabricação vem dos 10 hectares de canavial plantados na Fazenda da Baixinha, onde está localizada a planta fabril da Capotira.




O SIRHA



A 3ª edição do Sirha reúne expositores, marcas e profissionais de toda cadeia produtiva do negócio de Alimentos, Bebidas e Hotelaria, como chefs, confeiteiros e padeiros; donos de restaurantes, bares e hotéis; diretores de compras; além de associações e escolas de culinária e hotelaria de todo País. O salão internacional foi aberto na última quarta-feira, 14 e segue até hoje, 16, no São Paulo Expo, na capital paulista, mantendo a previsão de público de 15 mil pessoas para os três dias.



 O Terroir Sebrae, espaço idealizado pela instituição para apresentar os produtos de empresas brasileiras no evento internacional de foodservice.


A expectativa é que até o final do evento mais de 15 mil pessoas tenham visitado o salão, realizando negócios no evento ou tomando conhecimento do que tem sido produzido no mercado nacional para contatos comerciais posteriores. Do Maranhão, além da Cachaça Capotira, participam do evento a Geleias Regionais Sabor da Ilha (São Luís) e a BioCana Brasil (Bacabal) que expõem seus produtos no Terroir Sebrae, espaço idealizado pela instituição especialmente para o SIRHA.



“As empresas maranhenses estão expondo neste espaço juntamente com mais 60 empreendimentos atendidos pelo Sebrae em todo o País. Além da exposição, o Terroir Sebrae possibilita degustação e venda dos produtos diferenciados, contando, ainda, com o Lounge do Conhecimento para realização de palestras, aulas-show, harmonizações entre os produtos presentes no salão e painéis com debates sobre produtos artesanais, origem e certificações diversas, dentre outros temas. Rodadas de negócios aconteceram nos períodos da manhã com objetivo de aproximar os empresários demandantes de produtores ofertantes, possibilitando contato direto entre compradores e fornecedores. Sem dúvida, o SIRHA é um evento de mercado ímpar e uma excelente experiência para os participantes”, destaca a diretora de Administração e Finanças do Sebrae no Maranhão, Rachel Jordão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O titular deste blog não se responsabiliza pelos comentários aqui feitos, por tanto, seja moderado e não ofenda ninguém!