Mostrando postagens com marcador Transmissão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Transmissão. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Período de chuvas facilita a transmissão de meningite pelo ar, diz médico


Imagem Ilustrativa.
Recentemente, um levantamento da Secretaria de Estado da Saúde confirmou mais de 100 casos de meningite, com 35mortes registradas, no Maranhão. Estatística que deixa em alerta o público mais suscetível a essa doença que se ropaga com mais facilidade em dias frios e períodos chuvosos. As versões mais comuns da meningite nessa época são as virais e bacterianas, que, dependendo da gravidade e do tipo, podem levar à morte.

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Essa inflamação pode ser causada por micro-organismos (vírus e bactérias), alergias a medicamentos e outros agentes.

Segundo a meteorologista Andréa Cerqueira, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), o Maranhão passa, neste fim de ano, por um período de transição entre a estação seca e chuvosa. O período de chuvas, de fato, está previsto para começar no início de 2020.

De qualquer forma, crianças, adolescentes, idosos e pessoas em geral que tiverem o sistema imunológico mais frágil devem tomar cuidados redobrados neste período, porque a principal causa de propagação da meningite é pelo ar, através de tosses e espirros.
Segundo o médico Rodrigo Cardoso, formado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), mais de 80% dos casos de meningite no Brasil são causados por uma bactéria chamada “neisseria menigintidis”, que tem 12 sorotipos (variações) diferentes, com graus distintos de propagação e gravidade.

O médico alerta que, durante os períodos de chuva, não só a capacidade de propagação da meningite aumenta como a de outras doenças também. “A gente coça o nariz em média três a quatro vezes por hora. Em tempos chuvosos, a ocorrência de resfriados e infecções de vias aéreas superiores aumenta e pode propiciar uma transmissão maior da bactéria causadora da meningite”, explicou, ressaltando que o contágio também depende muito das características da bactéria.

“Os mais virulentos são os sorotipos A B C W Y X, que são os principais causadores das epidemias. A vacina contra o sorotipo C, que é o que mais causa sintomas graves e a meningite mais comum no Brasil inteiro, é a ofertada pelo Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde de graça nos postos de saúde do Brasil todo”, explica.

Características da doença

A meningite é considerada uma doença é endêmica e casos são registrados ao longo de todo o ano. Os casos mais preocupantes são os de meningite bacteriana por costumarem ser mais graves. Segundo informações do Ministério da Saúde, a meningite pode atingir todas as faixas etárias, mas o maior risco é para crianças menores de cinco anos, em especial as menores de um.

Entre os principais os sintomas da doença estão febre alta, mal estar, náuseas, vômitos, rigidez do pescoço, fotofobia, dor de cabeça e confusão mental. Em casos graves, o tratamento é feito com antibiótico durante 7 dias. Depois de 24 horas, o indivíduo não transmite mais a doença e pode sair do isolamento.

“Quem teve contato com pessoas que estão com a doença correm mais riscos porque vão estar sempre recebendo uma carga de bactéria maior do que pessoas que não tem contato. A capacidade de desenvolver a doença depende de alguns fatores: a capacidade da bactéria de infectar o indivíduo, imunidade do hospedeiro, ação do sistema complemento-anticorpos e da capacidade da eliminação da bactéria na corrente sanguínea”, explica Rodrigo, lembrando que o tempo de incubação da doença varia de 2 a 10 dias, com tempo médio de 3 a 4 dias para manifestação de sintomas.

Quais vacinas o SUS oferece?


O SUS oferece quatro tipos de vacina para meningites bacterianas. São elas:
BCG: que protege contra a meningite tuberculosa;

Pentavalente: protege contra as infecções invasivas, entre elas a meningite causada pelo Haemophilus influenzae sorotipo b;

Meningocócica C: protege contra a doença meningocócica causada pela Neisseria meningitidis sorogrupo C;

Pneumocócica 10: protege contra as infecções invasivas, entre elas a meningite causada por dez sorotipos do Streptococcus pneumoniae.

Quando tomar a vacina?


BCG (contra a meningite turberculosa): uma dose ao nascer;

Pentavalente (contra meningite causada pela bactéria Haemophilus influenzae B): doses aos dois, quatro e seis meses de vida;

Meningocócica C (contra meningite causada pela bactéria Neisseria meningitidis sorogrupo C): doses aos três e cinco meses, reforço com um ano. Adolescentes de 11 a 14 anos devem receber dose única como reforço;

Pneumocócica 10 (contra meningite causada por dez sorotipos do Streptococcus pneumoniae): doses aos dois e quatro meses e reforço com um ano.